O fim da Playboy como a conhecemos

//O fim da Playboy como a conhecemos

O fim da Playboy como a conhecemos

Para quem acompanhou a trajetória da Revista Playboy ao longo de seus 62 anos de existência o ano de 2016 vai marcar o fim da Playboy como a conhecemos,  as fotos de mulheres nuas não serão mais publicadas na Revista. As imagens continuarão provocantes segundo o o diretor da Playboy Scott Flanders.

A busca por uma nova imagem da Revista já havia sido sentida pelo público desde 2014, ano em que a revista removeu todo o conteúdo de nudez de seu site e a decisão provou ter sido o grande acerto da equipe nos últimos anos. Com isso o site da Playboy que antes contava com 4 milhões de visitas por mês passou a ter 16 milhões de visitas mensais.

Com a remoção do conteúdo nu de suas páginas impressas, a Revista Playboy que hoje só pode ser comercializada para o público com idade superior a 18 anos espera poder vender seu conteúdo para o público com 13 anos ou mais e também entrar de vez nas plataformas sociais. A decisão foi anunciada após uma longa reunião entre o fundador da revista, Hugh Hefner e sua equipe. Com a internet e os sites pornográficos fornecendo nudez dos mais variados ângulos e de forma totalmente gratuita a Revista Playboy viu seus números despencarem e as 5,6 milhões de cópias que antes eram comercializadas anualmente hoje não somam nem 800 mil exemplares vendidos durante o mesmo período.

A remoção da nudez pode trazer também outro benefício a revista já que para posar nua as modelos famosas costumam exigir cachês milionários. Aumentar a faixa etária de leitores, ampliar vendas e de quebra reduzir os custos foi a alternativa encontrada pela equipe para os novos tempos. Por hora a medida atinge apenas a versão americana da revista e os mercados locais devem ter autonomia para decidir se aderem ou não a mesma política de vendas.

By | outubro 13th, 2015|Categories: Garota de programa do século XXI|1 Comment

Sobre o autor:

O Belas61 é referência na publicação de anúncios de garotas de programa de luxo em Brasília, somos focados na beleza e na qualidade de nossas anunciantes, se você está fora de Brasília acesse o ehvip.com.br, ele é o Belas61 em outras cidades.

Um comentário

  1. Dionísio Baco 15 de outubro de 2015 at 17:59 - Reply

    O problema para a Playboy é que os garotos que podem ver a revista hoje em dia não pagam por ela porque tem acesso fácil com a pirataria na web. Os homens feitos não pagam mais pra ver famosas photoshopadas.
    Nos áureos tempos a única forma de ver nudez era pelas páginas impressas pois alugar um vhs era mais caro e ainda tinha o risco de ser submetido a julgamentos morais.
    A revista publicava matérias além de fotos de mulheres nuas para dar ao seu ao seu público um pretexto para que todos se livrassem daqueles olhares desconfiados, das amarras sociais, sem passar vergonha.
    Hoje sites de acompanhantes como o belas61 apostam em vídeos porque sabem que o público mais exigente não se convence apenas por fotos.

Deixe seu comentário